Declaração Socialismo ou Barbárie, 22/04/2017

Categoría: Português Etiquetas:

Na quinta-feira passada ocorreu mais uma chacina de trabalhadores sem-terra. No interior de Mato Grosso (MT), em Colniza, a 1065 Km de Cuiabá (capital), jagunços encapuçados invadiram o Assentamento Taquaraçu do Norte, que abriga cerca de 100 famílias, por volta das 12h e chacinaram 9 trabalhadores a tiros e facadas.

Cinicamente, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Mato Grosso diz que não tem pistas dos mandantes e criminosos. Mas, é obvio essa foi uma ação encomendada pelos latifundiários que objetivam aterrorizar o combativo movimento sem-terra da região com uma brutalidade tamanha que um dos corpos foi encontrado com um facão cravado no pescoço.

Infelizmente esse massacre não é um fato isolado. Em 17 de abril foi completado 20 anos do massacre de Eldorado dos Carajás, na região sul do Estado do Pará (PA). Durante uma manifestação do movimento uma tropa de 150 soldados da política militar fortemente armada feriu 69 e assassinou 21 trabalhadores. Entre os feridos muitos acabaram ficando com sequelas permanentes e impossibilitados de trabalhar. Dos responsáveis por esse massacre, até agora, apenas dois comandantes foram condenados, os policiais envolvidos e os responsáveis políticos sequer foram responsabilizados ou julgados.

A impunidade dos agentes políticos, policiais e proprietários rurais, associada com a ausência de uma política de desapropriação do latifúndio, fazem com que a violência no campo apenas recrudesça. Transcorridos 20 do massacre de Eldorado dos Carajás a violência do Estado e do latifúndio ceifou a vida de mais de 270 trabalhadores e lideranças rurais.

A responsabilidade pelos massacres contra trabalhadores rurais recai sobre os governos dos partidos tradicionais da classe dominante (PMDB, PSDB, DEM e outros). Porém, nos sucessivos governos do PT a situação não foi diferente. O governo Dilma em seus dois mandatos, por exemplo, foi capaz de desapropriar e assentar menos famílias que os governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Em relação ao massacre dos trabalhadores do Assentamento Taquaraçu do Norte a responsabilidade é do governo Pedro Taques (PDT) e do reacionário Michel Temer (PMDB), pois sabedores dos acirramentos dos conflitos não fizeram gestão alguma para evitar mais esse massacre a mando do latifúndio, ao contrário agem para dificultar o assentamento de famílias.[1]

Nos solidarizamos com os familiares desses trabalhadores, vítimas do latifúndio e dos governos burgueses, com os companheiros do Assentamento Taquaraçu do Norte e com o Movimento Sem Terra. Mas, além da solidariedade no momento da dor, é necessário que a esquerda de conjunto apoie o Movimento Sem Terra no sentido de exigir a responsabilização dos diretamente envolvidos, executores e mandantes, bem como dos governos estadual e federal. Também é necessário retomar uma campanha nacional pela reforma agrária radical, sem indenização do latifúndio e sob controle democrático dos trabalhadores.

Não a impunidade!

Viva o Assentamento Taquaraçu do Norte!

Temer e seu governo são responsáveis!

Reforma Agrária já e sob controle dos trabalhadores!

 

[1] Além de não realizar novos processos de desapropriação e assentamento, Temer determinou suspender o processo de assentamentos quilombolas até que o tema não seja julgado pelo STF.